1 September 2009

Alice no teatro pela Cia. Armazém

Armazem theater Company

“Paulo de Moraes and the group of Warehouse Theater Company decided to provide to the theater audience the same sensations through which little Alice encounters. The acting appeals to an interactive and genius scenario, composed by ramps and curtains that open and close, creating rooms, gardens, forests and real labyrinths. For Paulo Moraes, Alice’s trip from childhood to adolescence is a dive into the sense of world and life.”


Google translator







O texto desse post foi adaptado do material de divulgação do grupo.




ALICE ATRAVÉS DO ESPELHO

Armazém Comanhia de Teatro

"Esse livro é doido. Isto é: o sentido dele está em ti." Paulo Mendes Campos




"(...) 'Alice através do espelho' quer fazer teatro de jogo. Diversão e filosofia. Para isso, a encenação construiu uma espécie de "caixa mágica" onde os sonhos de Alice se confundem com as alucinações do público. O país das maravilhas se transforma num divertido sanatório, onde todos os sonhos são possíveis. (...) Num espaço que privilegia as sensações, imagens, cheiros, sons, toques, fazem esse pequeno mundo alicinante." 
Release do espelhotáculo




"(...) Paulo de Moraes e a trupe da Armazém Companhia de Teatro decidiram tentar o impossível. Resolveram proporcionar ao espectador de teatro as mesmas sensações por que passa a pequena Alice, personagem de Lewis Carroll, quando ela mergulha em uma toca de coelho, cai num buraco interminável e, lá em baixo, encontra um país fabuloso. (...) A encenação recorre a umcenário genial, composto por cortinas que se abrem e fecham, formando salas, jardins, florestas e verdadeiros labirintos. O público acompanha tudo embevecido e aturdido. Para Paulo Moraes, a viagem de Alice da infância para a adolescência é, na verdade, um mergulho no sentido das coisas, do mundo, da vida. (...)" Alberto Guzik, Jornal da Tarde (São Paulo)




"(...) Alice leva o público or um torvelinho de sensações: a sensualidade sem culpa, a capacidade de se reinventar no imaginário, o prazer de se lançar no escuro. (...) A adaptação de PAulo Moraes tira partido do País das Maravilhas fazendo pontes com temas atuais ao apresentar o adolescente diante do fascínio pelo sexo, pelas drogas, pela loucura. Sob o maravilhamento com os cenários múltiplos, o figurino e as canções vibra uma angústia subterrânea. (...)" 
Sérgio Salvia Coelho, Folha de São Paulo



FICHA TÉCNICAElenco: Liliana Castro (Alice), Patrícia Selonk (Chapeleiro), Simone Mazzer (Rainha), Sergio Medeiros, Marcelo Guerra, Simone Viana, Thales Coutinho, Ricardo Martins, Flávia Menezes, Isabel PAcheco.
Direção: Paulo de Moraes | Dramaturgia: Maurício Arruda Mendonça | Concepção de Espaço Cênico: Paulo de Moraes | Cenografia: Paulo de Moraes e Gelson Amaral | Figurinos: João Marcelino | Adereços: Gelson Amaral | Iluminação e Trilha Sonora: Paulo de Moraes | Projeto Gráfico: Maurício Grecco | Produção Executiva: Flávia Menezes | Produção: Armazém Companhia de teatro.






FOTOS: Mauro Kury | Ilustrações originais de John Tenniel.



Quando fui assistir a essa peça na Fundição Progresso no Rio de Janeiro, a muitos anos, confesso que tive uma experiência mágica. Depois de ter literalmente descido pela toca do coelho, crescido e encolhido num espaço que estica e encolhe, chegou a hora do poema do Jabberwocky entre engrenagens, traquinagens e traquitandas (Foto). Foi então um Deus nos acuda! Fui selecionada com voluntária para uma experiência sonora e sinestésica inesquecível. Taparam meus olhos e de repente eu não estava mais lá, fui transportada para um mundo mítico e sombrio, uma floresta cheia de aventuras, perigos e mistérios, borbulhando de palavras enquanto o monstro se aproximava. Sons, sussuros, ruídos, palavras inventadas e grilvos faziam explodir a imaginação tal qual o poema de Lewis Carroll. Obrigada a todos do grupo, entre lesmolisas touvas, gramilvos, pintalouvas e momirratos.




About Me

My photo
“Always in search of curious objects, broken toys, bits of things and traces of stories, Adriana Peliano stitches together desires, monsters and fairy tales. Her collages and metamorphic assemblages are magical and multiple inventories, where logic is reinvented with new meanings and narratives, creating language games and dream labyrinths. Everything is transformed to tell new stories that dislocate our way of seeing, inviting the marvellous to visit our world.” “Sempre em busca de objetos curiosos, restos de brinquedos, cacos de mundos e rastros de estórias, Adriana Peliano costura desejos, monstros e contos de fadas. Suas colagens, metamofoses e assemblagens despertam inventários mágicos e múltiplos, onde a lógica do cotidiano é reinventada em novos sentidos e narrativas, criando jogos de linguagem e labirintos de sonhos. Tudo se transforma para contar novas estórias, abrindo portas para o maravilhoso.”