16 December 2014

Tradução de "The Nursery Alice" por Maurício Coelho




"The Nursery Alice" é uma adaptação de "Alice no País das Maravilhas" que o próprio Lewis Carroll escreveu para crianças “de nenhum a cinco anos”, como ele mesmo descreve. Foi publicado pela primeira vez em 1890, com ilustrações coloridas de Sir John Tenniel, ilustrador original das aventuras de Alice. O texto é mais simples do que o original mas apresenta algumas novidades curiosas como o fato de ter sido escrito para ser contado, fazendo com que o autor dialogue com o leitor e comente as figuras da própria obra. "De que serve um livro sem figuras e nem diálogos?" Perguntou Alice...

A obra foi recentemente lançada em português pela editora Chiado e traduzida por Maurício Coelho, que me concedeu essa entrevista. Um livro original e muito interessante para os apreciadores de Alice de nenhum a nenhum anos.



Entrevista exclusiva com o tradutor Maurício Coelho.


1 - Qual a importância de Alice na sua vida? Como você conheceu a estória?

Sempre gostei de Alice, desde pequeno. Conheci pelo filme da Disney que vivia assistindo quando eu era pequeno. Depois que cresci, comecei a ler os livros de Alice e sempre me interessando mais sobre a estória e sobre a vida do autor, continuei sendo fã dos livros. "The Nursery Alice" conheci através de uma das cartas que o Carroll mandou para uma de suas amiguinhas, falando da adaptação que iria fazer de Alice.

2 - Conte um pouco a história desse projeto de traduzir "The Nursery Alice".
Quais foram os seus principais desafios? Que outras traduções da obra existem em português?

Acredito que os desafios foram traduzir os dois poemas que antecedem a estória. No segundo poema, fiz uma tradução\adaptação para que rimasse em português também igual ao original, além disso, um pouco da introdução feita por Carroll e também do trocadilho que ele faz, porém o trabalho maior mesmo foi revisar a obra. De início, pensei que não havia nenhuma, mas descobri que há uma tradução intitulada "Alice Para Crianças" da Clélia Regina, no entanto, a minha tradução é integral. 

3 - Quais as diferenças em relação à "Alice no País das Maravilhas" mais te chamaram a atenção?

Uma das mudanças interessantes é o uso de palavras itálicas que o Carroll usa para dar ênfase em uma palavra, além de a própria maneira como ele conta a estória. Como ele mesmo fala, a estória deve ser contada e não lida. O que achei bastante interessante foi a interação que ele faz das imagens com o texto. Muito didático.

4 - É curioso o fato de que esse livro não aparece em muitas obras Completas de Lewis Carroll.
Parece ser considerada por muitos uma obra menor, que ao adaptar simplifica o original reduzindo a sua força. O que você acha disso?

Isso é verdade, inclusive possuo livro Complete Illustrated Lewis Carroll da Wordsworth Library Collection e não há essa estória. Acredito que as duas obras são diferentes e que cada obra tem o seu valor. Essa obra deveria ser mais divulgada, além de inserirem ela nos seus trabalhos completos. Apesar de ter sido para crianças, mas acredito que muitos adultos de Carroll com certeza irão ler esse livro.

5 - Porque o título foi traduzido por "Cuidadosa Alice"? 
Isso não delimita a personalidade de uma personagem em constante mudança?

A tradução do título foi por causa do capítulo em que Alice “cuida” do bebê-porco um outro título que pensei, apenas posteriormente foi de simplesmente A Pequena Alice. Não acredito que isso delimita a personalidade dessa personagem, mas gostaria de opiniões a respeito disso. Agora, eu faço uma pergunta, qual o título ficaria melhor traduzido\adaptado?

- Poderia ser "Era uma vez Alice" por exemplo,  já que o livro começa com Era uma vez. 
Ou mesmo "o sonho de Alice" já que isso é contado na primeira página e é bem poético e combina muito com a capa original que eu amo. Mas o melhor a meu ver seria Alice no Jardim da Infância.

6 - Aonde o público pode encontrar o livro?

O livro pode ser encontrado no site da própria Chiado, mas também pode ser adquirido direto comigo, já possuo uma parte da tiragem para a venda.

7 - você pode mandar uma apresentação breve de que é você?

Nasci em Belém do Pará, em 1992. Sou formado em inglês pelo CCBEU e graduando em Licenciatura em Ciências Biológicas pelo CESUPA. Essa é a minha primeira tradução.  


Obra original com capa de Gertrude Thomsom.



About Me

My photo
“Always in search of curious objects, broken toys, bits of things and traces of stories, Adriana Peliano stitches together desires, monsters and fairy tales. Her collages and metamorphic assemblages are magical and multiple inventories, where logic is reinvented with new meanings and narratives, creating language games and dream labyrinths. Everything is transformed to tell new stories that dislocate our way of seeing, inviting the marvellous to visit our world.” “Sempre em busca de objetos curiosos, restos de brinquedos, cacos de mundos e rastros de estórias, Adriana Peliano costura desejos, monstros e contos de fadas. Suas colagens, metamofoses e assemblagens despertam inventários mágicos e múltiplos, onde a lógica do cotidiano é reinventada em novos sentidos e narrativas, criando jogos de linguagem e labirintos de sonhos. Tudo se transforma para contar novas estórias, abrindo portas para o maravilhoso.”